quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Chuva de granizo muda paisagem paraisense e causa prejuízos



(Matéria publicada no Jornal do Sudoeste sobre a chuva de granizo que atingiu São Sebastião do Paraíso no domingo, 18 de agosto)
A violência da chuva de granizo que atingiu São Sebastião do Paraíso no início da noite de domingo, 18 de agosto, surpreendeu muita gente. Em pouco mais de 15 minutos, as pedras de gelo cobriram de branco diversas ruas e praças da cidade. Em alguns pontos, elas chegaram a formar blocos de mais de 20 centímetros de espessura.
Moradores aproveitaram o momento para fazer escultaras de gelo e tirar fotografias. Inúmeras fotos do fenômeno “pipocaram” nas redes sociais pouco depois do ocorrido. Contudo, o que foi surpresa e novidade para alguns, se tornou prejuízo para muitos. Acompanhadas de ventos de até 106 Km/hora, a chuva causou estragos.
Café
Como se já não bastessem os problemas enfrentados com a baixa do produto no mercado internacional, os cafeicultores acordaram na manhã seguinte à chuva de granizo contabilizando as perdas. De acordo com Marcelo Almeida, engenheiro agrônomo da Cooparaiso, a chuva de granizo atingiu cerca de 200 hectares de lavouras de café. Destes, cerca de 50 hectares estão plantados na comunidade rural da Faxina. Lavouras localizadas nos bairros Espraiado,Volpes e Lagoa Preta também foram prejudicadas.
O município de Paraíso possui área de 13.890 mil hectares de cafezais, portanto, a área prejudicada é relativamente pequena, contudo, os produtores atingidos sofreram prejuízos significativos. Esse foi o caso de Vitor de Almeida Campos, que teve 15 hectares atingidos pelo granizo. Em 2012, ele passou pelo mesmo problema. “A chuva pegou 80 mil pés. Vou ter, mais ou menos, 15% de quebra da safra que vem. Por causa da chuva a varrição deve atrasar uns dez dias. Sei que a entrada de doença pode ser grande. Paramos tudo e vamos fazer a pulverização, porque as doenças que estavam no chão podem passar para as folhas e o prejuízo pode ser ainda maior”, disse.
Alagamentos
Após as chuvas, a Defesa Civil de Paraíso atendeu cerca de 10 chamadas referentes a alagamento de residências. As mais graves foram registradas na rua Antônio Ananias, no bairro Verona. Devido ao entupimento de bueiros localizados na via, três casas foram invadidas pelas águas. Outras, em diversos pontos da cidade, sofreram com o entupimento de calhas. Com o apoio da Guarda Municipal, agentes da Defesa Civil fizeram o desentupimento das calhas.
A Lagoinha, um dos cartões postais da cidade, transbordou. Segundo a Cooparaiso, choveu 17,8 milímetros no domingo. Na manhã de segunda-feira, 19, moradores das casas mais atingidas ainda removiam gelo e faziam a limpeza de suas propriedades.
Acidente na BR 265
Por volta das 18h20, período de maior intensidade de chuvas, dois veículos se chocaram próximo ao KM 642 da rodovia federal. O lavrador Jair Soares, 38, morador da comunidade dos Marques, seguia com seu Fiat Uno sentido à divisa com o estado de São Paulo quando foi atingido pelo Fiat Palio de Benedita Alves de Lima, 66.
Segundo Boletim de Ocorrência registrada pela Polícia Rodoviária, a aposentada, que seguia no sentido contrário da via, parou seu veículo fora da rodovia e, ao atravessar a pista para realizar o retorno de forma brusca, atingiu o veículo do lavrador. Os dois carros precisaram ser retirados da rodovia. A mulher disse aos militares que sua visibilidade foi prejudicada por causa da forte chuva. Ninguém ficou ferido.  

Gelo cobre a rua Delfim Moreira - Foto: Nilson Pedrosa